Semeiosis: semiótica e transdisciplinaridade em revista

Qualis: B2

Dossiê/Tema:

Prazo: Fluxo Contínuo

Titulação: Todas as titulações em coautoria com doutore(a)s

Ementa: A revista incentiva uma visão sistêmica e transdisciplinar de estudos de diferentes áreas do conhecimento que discutem os fundamentos teóricos e conceituais da semiótica e experimentos na investigação de fenômenos geradores de sentido.

Mais informações: https://ojs.semeiosis.com.br/index.php/semeiosis/index


Folkcomunicação

Qualis: B3

Dossiê/Tema: As estratégias de folkmarketing na sociedade contemporânea

Prazo: 20 de maio de 2022

Titulação: mestrando(a)s em coautoria com doutore(a)s

Ementa: Percebe-se que, na contemporaneidade, tem se tornado comum o uso de práticas comunicacionais associadas às estratégias de folkmarketing. É recorrente a utilização de expressões da cultura popular por parte de marcas e empresas que buscam uma identificação/aproximação com grupos e sujeitos. Proposto pelo pesquisador Dr. Severino Lucena Filho, o conceito de Folkmarketing compreende “uma modalidade comunicacional, com base nas matrizes teóricas da folkcomunicação e do marketing, estrategicamente adotada pelos gestores comunicacionais dos mercados regionais, apresentando como característica diferenciada a apropriação das expressões simbólicas da cultura popular, no seu processo constitutivo, por parte das instituições públicas e privadas, com objetivos mercadológicos e institucionais”. Diante dessa perspectiva, nos instiga pesquisar a apropriação mercadológica das gírias, costumes, indumentárias, imagens, dialetos, danças, entre outras expressões, e como ela tem se refletido nos grupos e comunidades. Com esse propósito, a Revista Internacional de Folkcomunicação lança um convite para a submissão de artigos e ensaios que tematizam as práticas de folkmarketing na cultura contemporânea. A edição contempla eixos temáticos que podem ser organizados como reflexões conceituais, relatos de experiências e análises folkcomunicacionais que compreendem os seguintes aspectos:

Além de artigos, a edição acolhe também resenhas de livros de referência na área do folkmarketing (produzidas conforme as normas da revista), com o propósito de difundir o conhecimento sobre as bases dos estudos desenvolvidos a partir das relações entre cultura, comunicação e marketing.

Mais informaçõeshttps://revistas.uepg.br/index.php/folkcom/announcement/view/445


Mídia e Cotidiano

Qualis: A4 (Qualis Provisório)

Dossiê/Tema: Comunicação, Mídia e Interseccionalidade

Prazo: 23 de maio de 2022

Titulação: mestrando(a)s em coautoria com doutore(a)s

Ementa: A interseccionalidade, enquanto conceito, foi cunhada e difundida a partir da obra de Kimberle Crenshaw (1989, 1991). No entanto, enquanto perspectiva nasce no âmbito das discussões feministas e pós-coloniais e por isso já estava presente em outras propostas, algumas anteriores e iniciadas em outros contextos geográficos, como é o caso de Lélia Gonzalez, Sueli Carneiro, Maria Lugones, Avtar Brah, entre outras. Isto porque a interseccionalidade não se resume a um conceito, é antes uma abordagem, uma forma de olhar e compreender o mundo e uma perspectiva teórica-epistemológica e metodológica sobre as pesquisas, que pode ser aplicada a diversas áreas disciplinares. Nesse sentido, a revista Mídia e Cotidiano convida a publicação de pesquisas e trabalhos que se organizem a partir da interseccionalidade não apenas como um conceito, mas enquanto uma perspectiva e/ou proposta metodológica, para pensar as pesquisas em Comunicação e Mídia, enfocando eixos temáticos como:

Mais informaçõeshttps://periodicos.uff.br/midiaecotidiano/announcement/view/45


ECO-PÓS

Qualis: B1

Dossiê/Tema: O Choque dos Acontecimentos: Retórica e Política das Comoções Públicas

Prazo: 10 de junho de 2022

Titulação: Todas as titulações em coautoria com doutore(a)s

Ementa: Uma nova abordagem científica dos fenômenos sensíveis redefiniu a comoção, em meados do século XIX, como um processo psicofisiológico cujo substrato orgânico era o sistema nervoso. O esforço enérgico para enfrentar perigos repentinamente revelados nem sempre era bem-sucedido: em presença do fato impactante, o sujeito podia ficar “estupefato” e permanecer “petrificado”, escondendo, sob a aparente rigidez, um “veemente conflito de movimentos internos e pensamentos desordenados” (idem, p. 123). O objetivo deste Dossiê é reunir artigos originais, traduções e entrevistas que abordem as estratégias retóricas, os procedimentos narrativos e os recursos tecnológicos acionados por diferentes artefatos midiáticos com o intuito de fomentar, expandir ou desqualificar comoções públicas, emergentes em variados contextos históricos. Também serão bem-vindas análises da parcialidade ou da seletividade da comoção em episódios de abalo moral ou de luto coletivo (ocasiões em que se presume, geralmente, que toda a nação ou todo o planeta esteja irmanado na mesma dor e na mesma revolta).

Mais informações: https://revistaecopos.eco.ufrj.br/eco_pos/announcement/view/333


Paradoxos

Qualis: B5

Dossiê/Tema: Jornalismo, Mediações e Poder: uma perspectiva latino-americana

Prazo: 13 de junho de 2022

Titulação: Todas as titulações em coautoria com mestre(a)s

Ementa: O acesso democratizado aos conteúdos jornalísticos é uma condição essencial para a cidadania e o exercício dos direitos políticos nas democracias contemporâneas. Consequentemente, o jornalismo é um espaço de mediação que pressiona o Estado, instituições e grupos sociais, mas que também é pressionado por eles. Na América-latina essa relação é tensionada por fatores característicos, que envolvem a propriedade dos meios de comunicação, vícios políticos e desigualdade social. Neste sentido, o dossiê pretende reunir abordagens que enfoquem o jornalismo enquanto mediação e as múltiplas faces de suas relações com o poder.

Possíveis temas, sem a exclusão de outras questões pertinentes, são:

Mais informações: https://seer.ufu.br/index.php/paradoxos/about


Cadernos ABPCom

Qualis:

Dossiê/Tema: Mídia Cidadã na interface com a Educação

Prazo: 20 de junho de 2022

Titulação: Todas as titulações

Ementa: São convidadas e convidados todas e todos pesquisadores que tem interesse na área, assim como comunicadoras e comunicadores populares que trabalhem dentro do eixo da comunicação e educação.

Mais informações: https://abpcom.com.br/chamada-de-trabalhos-cadernos-abpcom/


Revista ALAIC

Qualis: B1

Dossiê/Tema: Comunicação e ficção em plataformas de streaming

Prazo: 20 de junho de 2022

Titulação: mestrando(a)s em coautoria com doutore(a)s

Ementa: O contexto atual de produção, distribuição e consumo de conteúdos televisivos por meio da internet tensiona dois paradigmas, o modelo clássico (broadcasting) e o modelo emergente (webcasting) e traz grandes desafios para os estudos de televisão em todo o mundo e, notadamente, na América Latina. Pesquisa recente indica que a América Latina já o segundo mercado de streaming que mais cresce no mundo e se configura como um espaço estratégico para as empresas globais de entretenimento (como Netflix, Amazon Prime Video, Disney+, HBO Max) com serviços sob demanda por assinatura. Ao mesmo tempo emergem e se consolidam em nosso continente plataformas de streaming ligadas às indústrias de televisão nacionais como Blim (Televisa, México), Globoplay (Globo, Brasil), América TV GO (Peru), entre outras. A competição acirrada entre players nacionais e internacionais, em um contexto de expansão do consumo de conteúdos sob demanda por meio de plataformas de streaming, produz efeitos que podem ser observados sob diversos aspectos, sociais, econômicos, culturais e, mais precisamente, sob a égide da indústria cultural. Detendo o olhar mais diretamente sobre os conteúdos de ficção, a entrada de empresas globais em espaços anteriormente ocupados por empresas nacionais de televisão provoca transformações que incidem sobre todas as etapas de produção e consumo produzindo tensionamentos entre modelos criativos e comerciais “nacionais” e “internacionais” envolvendo, entre outros aspectos, roteiro, casting, equipes técnicas, direção, concepções estéticas e temáticas abordadas. Considerando esse contexto, os objetivos do dossiê Comunicação e ficção em plataformas de streaming são promover a análise e a reflexão sobre narrativas y estéticas televisivas e as transformações de gêneros e formatos ficcionais no contexto de um novo ecossistema midiático, marcado pela expansão da internet. Para este dossiê, o objetivo é reunir trabalhos que abordem diferentes aspectos relacionados à ficção televisiva como espaço de construção, produção, circulação e consumo de sentidos – ou seja, como espaços de construção/desconstrução de práticas sociais, representações , identidades – sem esquecer os aspectos econômicos neste contexto. Isso significa observar o conteúdo dos produtos de ficção a partir de suas implicações na configuração de imaginários e memórias sociais, como espaço para representar as diversas subjetividades em que não apenas temas e abordagens da agenda social tornam-se visíveis, mas também os embates entre o nacional e o transnacional de um cenário de comunicação globalizada. Eixos temáticos:

Mais informações: http://revista.pubalaic.org/index.php/alaic/announcement/view/3


Tríade

Qualis: B2

Dossiê/Tema: Fotojornalismo(s)

Prazo: 30 de junho de 2022

Titulação: Mestrando(a)s em coautoria com doutore(a)s

Ementa: Quais os usos e funções dados ao fotojornalismo na atualidade? De que maneiras sua práxis tem sido pensada? Para este dossiê, buscamos congregar reflexões que nos possibilitem compor uma espécie de panorama da pesquisa científica sobre o assunto no Brasil. Interessam-nos problematizações inéditas sobre a gestão do fotojornalismo em periódicos impressos ou eletrônicos; sobre suas múltiplas formas de organização e de circulação sincrética. Seção do Jornalismo, gênero da Fotografia, constructo da Arte? Por quais elementos, contornos, nuances se operacionalizam construções de sentido? Por quais percursos e instrumentos as e os agentes das notícias imprimem seus olhares na veiculação técnica do mundo? Mais do que isso, de que forma agenciam sentidos na tradução de referentes via critérios de noticiabilidade? Convidamos colegas pesquisadoras(es) a somar forças para delinear as vias percorridas em diferentes IES, estados e regiões nacionais nos anos mais recentes. A ideia é expandir o debate sobre o tema, de forma a possibilitar que respostas a questionamentos de outrora se transmutem em bases para novas indagações. Fazer, sentir, ler, replicar, examinar a tradução imagética do mundo em – mas não apenas – páginas impressas, publicações on-line, transmissões eletrônicas. Dessa forma, autores dos mais diversificados campos do conhecimento humano são bem-vindos como referências para esta incursão, que tem como pano de fundo o desejo de tensionar pressupostos e de aproximar olhares.

Mais informações: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/triade/index

Reciis

Qualis: B1

Dossiê/Tema: Trabalho por plataformas digitais e saúde

Prazo: 30 de junho de 2022

Titulação: mestrando(a)s em coautoria com doutore(a)s

Ementa: A plataformização do trabalho não só prejudica os direitos trabalhistas e os mecanismos de regulação do trabalho, mas também gera graves consequências para a saúde das pessoas que trabalham nessas economias. Em alguns casos, como no trabalho de entregadores, até mortes são relatadas diariamente. Moderadores de conteúdo e trabalhadores de plataformas de microtrabalho apresentam também muitos problemas de saúde mental. Por exemplo, em 2020, o Facebook teve que pagar US$ 52 milhões a seus moderadores que desenvolveram transtorno de estresse pós-traumático (PTSD). Assim, é urgente analisar saúde e bem-estar nas plataformas digitais, tanto em relação às condições atuais quanto para prefigurar quais os futuros que queremos em relação à saúde no trabalho por plataformas. Este dossiê visa compilar estudos sobre relações entre saúde e trabalho por plataformas digitais, reconhecendo a importância deste debate. Aceitamos artigos em inglês, espanhol e português. Estamos especialmente interessados em propostas que enfatizem estes temas:

Ao submeter o trabalho, por favor, use a categoria Dossiê “Trabalho por plataformas digitais e saúde”.

Mais informações: https://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/announcement


Culturas Midiáticas

Qualis: B2

Dossiê/Tema: Desinformação

Prazo: 30 de junho de 2022

Titulação: todas as titulações em coautoria com doutore(a)s

Ementa: Os novos circuitos de consumo de notícias e trocas informativas que têm se estabelecido e consolidado pelo amplo uso de plataformas digitais e aplicativos de mensageria privada têm se mostrado um desafio sem precedentes para quem trabalha e pesquisa a comunicação. Reconhecidos seus potenciais para ampliação de vozes silenciadas e aumento da diversidade de representações de posições na discussão pública, a disseminação de informações por fora dos meios de comunicação tradicionais também trouxe como efeitos a ampliação da crise de credibilidade desses media e dos atores institucionais, que são recorrentemente contraditos, questionados e desconsiderados, gerando um cenário de incerteza perene em relação à veracidade dos fatos e dos conteúdos compartilhados a todo instante. Circulam posições distintas, contraditórias, falaciosas e pautadas em apelos emocionais e julgamentos individuais a respeito de qualquer temática, em estruturas linguísticas que forçam a semelhança com os repertórios e a autoridade de especialistas e cientistas, tornando o debate público ainda mais hostil, fragmentado e caótico. Testemunhos e vivências pessoais se sobressaem em relação a fatos e evidências na tomada de decisões, que tomam o senso comum, o amadorismo ou o achismo como fiel da balança sobre a evidência científica e os acontecimentos públicos, por exemplo, ancorando-se na compreensão da liberdade de expressão como direito absoluto para se resguardar de questionamentos e responsabilização. A ascensão ao poder de líderes populistas e de movimentos da direita radical e, mais recentemente, os movimentos negacionistas e antivacina ao redor do mundo, evidenciam os riscos do crescimento deste cenário de desordem informacional que se instaura no cotidiano.

O dossiê convida pesquisadoras e pesquisadores a submeterem artigos inéditos que abordem os seguintes temas:

• Os usos das infraestruturas e das affordances das plataformas digitais em campanhas de desinformação
• Desinformação, fake news e crise de credibilidade das instituições democráticas
• Desinformação e estratégias discursivas
• Jornalismo, fact-checking e experiências de ações corretivas
• Estratégias para a comunicação pública em tempos de desinformação
• Políticas de comunicação e plataformas digitais: modelos de regulação
• Uso da desinformação para polarização política e para circulação de teorias da conspiração
• Letramento midiático e competência informacional para o combate à desinformação

Mais informações: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/cm/announcement/view/735


Revista Brasileira de Estudos da Mídia – Iniciação Científica (RBEM)

Qualis:

Dossiê/Tema: Temática livre

Prazo: 30 de julho de 2022

Titulação: todas as titulações em coautoria com doutore(a)s

Ementa: O campo de pesquisa da Comunicação Social está atualmente dividido e distante dos cursos de graduação. Dividido entre diferentes formas de pensar, em que cada grupo de pesquisadores publica em revistas acadêmicas voltadas para sua forma de pensar. E distante em virtude de um grande abismo entre teoria e prática que divide o ensino da comunicação.  O objetivo da primeira edição é transformar esse duplo problema em oportunidade: publicando textos de alunos de iniciação científica dos cursos de graduação em conjunto com doutores em todo território nacional na área de comunicação social. Hoje, poucas revistas apresentam essa possibilidade e há uma grande demanda de textos que não encontram espaço para sua publicação. A ideia não é só dar vazão a essa demanda reprimida, mas também ampliá-la através de uma série de dossiês temáticos e da participação de professores de vários estados.

Mais informações e envio de propostas: revistadeestudosdamidia@gmail.com


Desenvolvimento Socioeconômico em Debate (RDSD)

Qualis: B4

Dossiê/Tema: Poder, Mídia e Democracia: usos e abusos

Prazo: 1 de julho de 2022

Titulação: mestrando(a)s em coautoria com doutore(a)s

Ementa: Em diversos momentos da história de nosso país e da América Latina a mídia, compreendida como espaço que reúne todos os meios de comunicação – jornal, rádio, televisão, revista, internet – foi um importante instrumento utilizado para legitimar e/ou desestruturar posições nos campos da economia, da política e da cultura, tornando-se um importante espaço de disputa de poder. Diante da complexidade que envolve essa instituição, podem-se identificar pesquisas sobre diferentes espaços e temporalidades, com temáticas como os populismos e as manifestações após 2013 no Brasil, quando um enorme volume de desinformação passou a circular sem mediação, em plataformas digitais disponíveis na internet como Facebook, Twitter, Instagram e, principalmente, nos aplicativos de conversa privada como WhatsApp e Telegram. Nesse contexto, o objetivo deste Dossiê, de caráter multi e interdisciplinar, é reunir artigos que abordem temas relacionados às áreas de Ciências Sociais Aplicadas e Ciências Humanas, como as seguintes questões: poder e Mídia na história contemporânea; Censura à liberdade de imprensa e limites da liberdade de expressão; Negacionismo, Democracia e liberdade de expressão; Redes Sociais e Fake News.

Mais informações: http://periodicos.unesc.net/RDSD/announcement/view/18


Radiofonias

Qualis: B4

Dossiê/Tema: Radiojornalismo e a cobertura eleitoral

Prazo: 4 de julho de 2022

Titulação: mestrando(a)s em coautoria com doutore(a)s

Ementa: A poucos meses do início do período eleitoral no Brasil, pesquisadores se mobilizam em torno de investigações coletivas, como as desenvolvidas pela Rede de Pesquisa em Radiojornalismo (RadioJor), vinculada à Associação Brasileira dos Pesquisadores em Jornalismo (SBPJor), para monitorar a cobertura eleitoral oferecida pelo rádio, entendido como serviço público de radiodifusão.
Nesse contexto desafiador, a Radiofonias – Revista de Estudos em Mídia Sonora lança o dossiê “Radiojornalismo e a cobertura eleitoral”, incentivando submissões que proponham reflexões, estudos de caso e/ou decorram de projetos de pesquisa envolvendo questões como:

Mais informações: https://periodicos.ufop.br/radiofonias/announcement/view/266


ECO-PÓS

Qualis: B1

Dossiê/Tema: Etnografias da mídia e do digital

Prazo: 12 de agosto de 2022

Titulação: Todas as titulações em coautoria com doutore(a)s

Ementa: Os estudos sobre a mídia têm uma longa tradição na América Latina e uma vasta produção no campo da comunicação. Nas últimas décadas o interesse pelos meios de comunicação e pelo universo digital a partir de outras áreas de pesquisa se expandiu, incluindo a antropologia. No entanto, ainda são escassas as investigações que focam na perspectiva dos atores – como a etnografia propõe -, seja ela sobre a produção e suas rotinas ou sobre as audiências na vida cotidiana. Por outro lado, a emergência, a proliferação e a presença constante das mídias digitais no cotidiano trouxeram outras questões que colocam novos desafios para a pesquisa etnográfica. Se no início dos estudos sobre a Internet era recorrente a distinção entre o “virtual” e o “real”, essa separação foi se desfazendo e as perguntas sobre o que as pessoas de fato fazem com e nas mídias sociais emergiram e também levantaram novas questões sobre o “estar lá” da etnografia. Ela oferece formas distintas de estudar os meios de comunicação e entender as experiências e as relações dos indivíduos com a mídia na era digital. Sabemos que as práticas midiáticas estão profundamente enraizadas no tecido social e na vida cotidiana. Nesse contexto, o debate sobre as contribuições que a etnografia pode trazer para os estudos das mídias de comunicação e das redes sociais é muito relevante. Embora os meios tecnológicos e suas infraestruturas tenham alcance global, é necessário compreender os consumidores ou usuários através do filtro da experiência local. Para este número da Revista Eco-Pós são bem-vindos artigos, resenhas e entrevistas que explorem os principais debates em torno da etnografia da mídia e do digital. A partir de uma perspectiva etnográfica como recurso teórico-metodológico, interessam os trabalhos que analisem as mídias em seu aspecto relacional, que considerem os pontos de vista e a lógica dos atores sociais nela envolvidos e também artigos que reflitam sobre o conceito de etnografia e o fazer etnográfico. Portanto, a proposta deste dossiê é reunir artigos que discutam as relações entre a antropologia e a comunicação se detendo nas especificidades de cada uma das áreas, assim como etnografias que problematizem ou não a presença do pesquisador no campo comunicacional e os seus modos de “estar lá”.

Assim, a proposta deste dossiê é receber artigos que abordem os seguintes temas:

Mais informações: https://revistaecopos.eco.ufrj.br/eco_pos/announcement/view/333


Teoria & Pesquisa

Qualis: B2

Dossiê/Tema: Um novo normal? Forças Armadas e Política no Brasil

Prazo: 15 de agosto de 2022

Titulação: Todas as titulações

Ementa: Este dossiê visa reunir reflexões em torno das relações entre Forças Armadas e política no Brasil. O estudo destas relações está inserido dentro das abordagens clássicas e contemporâneas das teorias das relações civis-militares, com contribuições de diferentes campos científicos como a ciência política, a sociologia, a antropologia e a história. O objeto central destas formulações é o controle civil sobre as Forças Armadas, que asseguraria, em tese, a obediência dos militares às decisões tomadas pela liderança política civil, guardando estrita neutralidade política enquanto Instituição. No caso brasileiro, contudo, os militares estiveram profundamente envolvidos em quase toda a história política, notadamente em eventos como a Proclamação da República, a Era Vargas e o estabelecimento de uma ditadura de natureza castrense em 1964. Serão bem acolhidos trabalhos que tratem das relações civis-militares, se debruçando sobre como construir o controle civil a partir de suas diversas perspectivas teóricas, objetos, análises históricas e abordagens metodológicas. Estimulam-se formulações sobre a profissionalização e educação militar, instituições civis e militares, organização castrense, políticas de defesa, justiça e processos de transição, cultura política militar, padrões eleitorais entre militares e outros tópicos que ressaltem as interações entre o mundo militar e o mundo civil-político.

Mais informações: https://www.teoriaepesquisa.ufscar.br


Esferas

Qualis: B2

Dossiê/Tema: Comunicação e estudos biográficos

Prazo: 31 de agosto de 2022

Titulação: mestrando(a)s em coautoria com doutore(a)s

Ementa: A Comunicação é uma das áreas que podem oferecer grande contribuição aos estudos das biografias e autobiografias. Seus pontos de contato com outras áreas, sua complexidade, proximidade com outros discursos e articulações narrativas lhe dão essa condição privilegiada. Neste sentido, essa chamada visa congregar os profissionais da Comunicação e de outras áreas que pesquisam (auto)biografias, memórias, histórias de vida, perfis biográficos, e visa ampliar o diálogo com especialistas nacionais e internacionais; desenvolver a interdisciplinaridade no campo comunicacional; estimular a divulgação e a informação sobre a pesquisa (auto)biográfica na área de Comunicação; promover a crítica e o pluralismo teórico e metodológico em suas diferentes produções. Além disso, nos interessam as seguintes abordagens:

Mais informações: https://portalrevistas.ucb.br/index.php/esf/announcement/view/80

——

Além dos dossiês e call for papers, os periódicos científicos recebem trabalhos em fluxo contínuo. Para conferir informações sobre o foco, escopo e diretrizes de cada revista acesse aos sites.